."Viver é a coisa mais rara do mundo, a maioria das pessoas apenas existe".Oscar Wilde .
Terça-feira, 13 de Março de 2007
Viagens de Moto - Califórnia

Pelos caminhos da liberdade

De San Francisco a Yosemite, Lake Tahoe e Napa

San Francisco a San Diego

Não à toa, o cinema, a música e a literatura relacionam sempre as palavras Califórnia e liberdade. Quem já andou num carro/moto para explorar por conta própria os cenários singulares deste estado entende completamente essa ligação. Além de ser um dos berços culturais mais importantes do Ocidente moderno, a Califórnia é dotada de belas praias, os melhores vinhos dos Estados Unidos, cidades charmosas, parques exuberantes e sítios históricos. Muitas destas paisagens já encheram as telas do cinema.

Foi nos anos idos de 1986, que estive pela última vez nos E.U.A.. Foi no verão de 1994, a convite de um amigo de infãncia, residente em S.Francisco, que na companhia dele visitei sitios  e paisagens históricas, numa Harley que ele tinha á minha espera. Foram dias inesqueciveis.

De San Francisco a Yosemite, Lake Tahoe e Napa 
Tempo : 7 dias | Total percorrido 945 km

Este é um roteiro que reúne Califórnias muito diferentes: a do litoral charmoso de Sausalito, a da natureza impressionante de Yosemite, a dos resorts luxuosos de Tahoe, a do Velho Oeste de Sacramento e a dos vinhos dos vales de Napa e Sonoma. Tão diversos quanto aprazíveis, são cenários que podem ser percorridos em apenas sete dias, mas merecem paradas mais atentas.

Dia 1

Arredores de San Francisco   40 quilômetros *

Sausalito

Antes de partir para o interior da Califórnia, aproveite a moto para conhecer dois vilarejos ao norte de San Francisco que valem um dia de visita. O primeiro deles surge logo depois de se cruzar a cênica Golden Gate: é Sausalito, antiga comunidade de pescadores que hoje abriga mansões penduradas em morros íngremes. O alto astral é constante na Bridgeway Avenue, onde ficam restaurantes, cafés, lojas elegantes e ateliês à beira-mar. O Scoma´s é um das opções para um almoço com vista para San Francisco. Tiburon, vizinha de Sausalito, é pequena, pacata e exibe seu passado de cidade ferroviária na arquitetura e nas ruas. Visite a Ark Row, uma seqüência de casas flutuantes (agora em terra firme) que abriga lojas variadas. À oeste da Golden Gate, o passeio pode prosseguir por Muir Woods, parque com sequóias com mais de 60 metros de altura e 1 000 anos de idade. Junto ao parque, uma estradinha cênica leva ao topo do Monte Tamalpais (794 metros), com uma vista fabulosa da Baía de San Francisco.

Dia 2 e 3

San Francisco / Yosemite   235 quilômetros *

Parque Nacional de Yosemite

A viagem para o Parque Nacional de Yosemite leva em torno de três horas - portanto, saia cedo para aproveitar melhor o dia. Pegue a Interstate 205 e depois as estradas 120 ou 140 para entrar no parque. Embora Yellowstone seja mais famoso, Yosemite é o parque nacional mais completo dos Estados Unidos: há uma grande variedade de vida selvagem, sequóias, paredões de rocha de quase 1 000 metros de altura (sim, 1 quilômetro!), a maior cachoeira da América do Norte, montanhas cobertas de neve, cânions e ainda mais, muito mais, em 307,5 mil hectares de área. Pegue um mapa ao chegar no parque e divirta-se. Não perca o El Capitán, o tal paredão com 900 metros (há sempre algum maluco escalando-o), a cachoeira Yosemite, com 740 metros e o Glacier Point, mirante que revela a Sierra Nevada e os cânions do parque. Já que a infra-estrutura turística é completa (que inclui hotéis, lojas, restaurantes e conveniências), você ficará tentado a passar mais de um dia em Yosemite  . Conselho: encha o deposito da moto antes de entrar no parque, pois você rodará bastante dentro dele.

Dia 4

Yosemite / Lake Tahoe   350 quilômetros *

Vista de Lake Tahoe

Para chegar a Lake Tahoe, você irá pela Highway 395 e pela US 50 margeando as montanhas de Sierra Nevada - a vista é inesquecível. Tahoe é um destino no verão (quando é palco de esportes náuticos em suas águas translúcidas) e outro no inverno (quando se torna um dos pontos mais conhecidos dos esportes de inverno do país). O local foi, inclusive, sede dos Jogos de Inverno de 1960. Circular o lago Lake Tahoe é fácil: são 105 quilômetros de agradáveis vistas e paradas, com bons restaurantes no caminho . A parada mais famosa é a de Vikingsholm, ao sul do parque, com uma réplica de castelo nórdico. Tahoe é cenário, entre outros, do segundo filme da trilogia O Poderoso Chefão - à beira dele fica a casa de Michael Corleone. 

Dia 5

Lake Tahoe / Sacramento   160 quilômetros *

O Capitólio em Sacramento, sede do governo

O caminho de Lake Tahoe para Sacramento faz parte da antiga rota da Corrida do Ouro , quando mais de 200 mil homens vindos de diferentes partes do mundo exploraram as minas de ouro da região. A febre durou 20 anos (1848-1868), mas mudou para sempre a história do estado. Tanto que a capital da Califórnia passou a ser Sacramento, centro dos garimpeiros. Os edifícios usados por eles foram restaurados e podem ser vistos no centro histórico da cidade. Duas atrações curiosas são o California State Railroad Museum, com vagões e locomotivas restaurados, e o BF Hastings Building, antigo salão da Suprema Corte nos tempos de Velho Oeste que mostra até hoje como a lei era aplicada na época. Também vale sacar a máquina fotográfica para o imponente Califórnia State Capitol, palácio sede do governo estadual, em estilo renascentista. Para se hospedar com sabor local, procure o River Boat Delta King (tel: 444-5464), barco da década de 30 que foi adaptado para ser hotel e está cheio de antiguidades.

Dia 6

Sacramento / Napa Valley   90 quilômetros *

Vinícula de Napa Valley

Os vinhedos de Santa Barbara, no sul da Califórnia, podem estar na moda, mas é Napa Valley a principal região vinícola do país. São mais de 250 wineries ao longo de 56 quilômetros de belas paisagens. Existem dois caminhos para conhecer o vale: a rodovia 29 ou a Silverado Trail (mais cênica). Ao longo delas, há pequenas e charmosas cidades como Santa Helena, Rutherford e Yountville, de onde partem os passeios de balão sobre o vale. Há muito que degustar em Napa Valley: além dos vinhos, aqui estão alguns dos melhores restaurantes do estado. Você pode também fazer piquenique nos vinhedos - muitas vinícolas dispõem de área exclusivamente para este fim. Os ingredientes podem ser comprados na estrada mesmo, cheia de quiosques com produtos orgânicos, queijos e frutas. Há até um trem de luxo (www.winetrain.com) que faz um passeio, com degustações e refeição, se você quiser deixar a moto de lado por três horas.

 Dia 7

Napa Valley / Sonoma Valley / San Francisco 70 quilômetros *

Região de Sonoma

Quer repetir a experiência dionisíaca de Napa? Pois você pode trocar de cenário e ficar tão inebriado (no bom sentido!) como no dia anterior. Vizinho a Napa Valley, Sonoma Valley é também um centro produtor de vinhos. Menor - trata-se de um corredor de 26 quilômetros espremido entre duas cadeias de montanhas -, o vale tem quase 40 vinícolas, com destaque para as uvas chardonnay e cabernet sauvignon. No centro, está a pequena cidade de Sonoma, enfeitada por uma praça encantadora, a Sonoma Plaza. Aproveite para relaxar com o clima de cidade pequena: hoje é dia de pegar a Highway 101 e voltar para San Francisco. 

Mapa
 

 

San Francisco a San Diego

Tempo : 7 dias | Total percorrido 919 km

O convite para ficar em San Francisco pode parecer irrecusável, mas deixar a cidade com destino ao sul da Califórnia só lhe trará boas surpresas. Não bastasse o cenário exuberante, uma mistura perfeita de (surpreendentes) encostas e (belas) praias, a região costeira da Califórnia entre San Francisco e San Diego é cheia de história e cultura. O tempo gasto no roteiro foi de 7 dias, mas você pode (e deve!) esticá-lo a cada parada. Vontade não vai faltar.

Dia 1

San Francisco / Baía de Monterey/Carmel   167 quilômetros *

Deixe para trás as ladeiras e os bondes de San Francisco e vá para a Highway 1, a estrada que costeia a maior parte da Califórnia. A primeira parada, a 117 quilômetros de San Francisco, é em Santa Cruz, já dentro da Baía de Monterey. E Santa Cruz não poderia ser mais uma californiana mais típica: sede da University of Califórnia e auto-batizada como berço do surfe na costa oeste americana - há até um curioso museu do surfe -, a cidade tem um centro histórico com missão do século 18 e um bucólico parque de diversões no Beach Boardwalk. Você pode almoçar aqui, nos cafés da Pacific Avenue, ou seguir direto para Monterey, onde os restaurantes mais descolados ficam na Fisherman´s Wharf, antiga zona portuária, e em Cannery Row .Capital da Califórnia até 1848, Monterey tem charmosas construções históricas, é sede de um famoso festival de jazz (sempre em setembro) e abriga o maior aquário do país, o Monterey Bay Aquarium - se você viaja com crianças, não deixe de visitá-lo. Coladinha em Monterey está Carmel. Estacione e relaxe. Carmel é para ser explorada a pé, fuçando os antiquários, lojinhas e cafés nos arredores da Ocean Street. Com ares europeus, Carmel é ponto de parada de celebridades - a maior delas é Clint Eastwood, que foi prefeito nos anos 80 e hoje é dono do restaurante Mission Ranch, que abre apenas para o jantar. 

Dia 2

Big Sur   200 quilômetros *

Big Sur

A decisão de passar a manhã na deliciosa Carmel ou percorrer uma das estradas cênicas mais famosas da Califórnia é das mais difíceis. Mas, se você optar por pegar na moto e conhecer a 17-Mile Drive, não se arrependerá. Trata-se de um percurso de três horas repletas de campos de golfe, casas de bilionários, florestas, praias e encostas. Uma delícia, mas a grande panorâmica mesmo é a Big Sur, estrada que começa 40 quilômetros ao sul de Carmel. São 160 sinuosos quilômetros de praias, montanhas e penhascos capturados em várias cenas clássicas de cinema. Vá devagar, apreciando as curvas e os cenários prontinhos para fotografar.
Não há grandes cidades ao longo da Big Sur, apenas a natureza, selvagem em Point Lobos (cheio de barulhentos leões-marinhos), romântica no parque Julia Pfeiffer Burns e sua famosa cachoeira, árida na Jade Cove e esotérica em Esalen, onde há um instituto new age. Uma boa parada para lanchar é Nepenthe, cidadezinha escondida cujo restaurante mais famoso leva seu nome e serve no terraço à beira-mar. A visita ao Hearst Castle , em San Simeon, é obrigatória. A casa (!) do milionário William Hearst tem 110 cômodos luxuriantes, como a Sala de Reuniões com uma imensa lareira francesa do século 16 e a Piscina Romana, com azulejos folheados a ouro. Descanse em San Luis Obispo, uma das cidades mais antigas da região e, atualmente, das mais modernas, graças aos universitários que aqui vivem e circulam pela Higuera Street. Às quintas-feiras, uma grande feira ao ar livre reúne a cidade. Para se hospedar, procure o agradável Garden Street Inn , instalado numa casa vitoriana.

Dia 3

San Luis Obispo / Santa Maria / Santa Ynes Valley   105 quilômetros *

Los Olivos

De manhã, aproveite para visitar a San Luis Obispo Mission de Tolosa, missão fundada em 1772. Ela ainda é usada como igreja e, ao seu lado, um museu apresenta arte indígena. Despeça-se da cidade e vá pela a Highway 1 novamente na direcção sul para adentrar a região de Santa Barbara, célebre pelos vinhedos, pelas mansões de celebridades e pelas praias. A primeira parada é Santa Maria, 57 quilômetros ao sul de San Luis Obispo, cuja fama maior nos últimos tempos veio do julgamento de Michael Jackson. Esqueça o escândalo - embora o rancho do astro, conhecido como Neverland, fique próximo daqui e desperte curiosidade. Santa Maria é pequena, charmosa e auto-intitulada Capital Mundial do Churrasco. Na Broadway, principal avenida da cidade, o churrasco, assado não com carvão, mas com a lenha de um carvalho típico da região, é encontrado até em barracas de ambulantes. Santa Maria é um dos pontos de partida para as vinícolas do Santa Ynes Valley. O passeio, uma rota de 48 quilômetros bem sinalizados, pode ser curtido em dois dias, para você ter tempo de apreciar as paradas, a paisagem e as degustações. Por Santa Maria, você entra no vale através da estrada Foxen Canyon (endereço de vinícolas) e segue até Los Olivos, onde um agradável café serve almoço. Dica: alugue o filme Sideways - Entre umas e outras  antes de viajar para sentir o clima da região.

Dia 4

Santa Maria / Solvang   56 quilômetros *

Solveng

Solvang, no meio da rota dos vinhedos, não se parece com nenhuma vizinha na Califórnia. Fundada por imigrantes dinamarqueses em 1911, é uma cidade em estilo escandinavo, cheia de construções que parecem de brinquedo, enfeitadas com moinhos e bondinhos puxados por cavalos. Em Solvang há óptimas confeitarias, padarias e delicatessens. Ou seja, é aqui que você pode se abastecer de pães e queijos para continuar seu passeio no Vale de Santa Ynes, desta vez com direito a piquenique. Uma das vinícolas mais procuradas da região é a Sanford Winery (www.sanfordwinery.com), na cidade de Buellton, elogiada por seu pinot noir no filme Sideways. Os restaurantes da região são óptimos - em Solvang, há vários de comida dinamarquesa, com sobremesas ainda mais saborosas de agosto a outubro por causa da temporada da maçã. Em Buellton, a dica é o Hitching Post II, retratado no filme, que serve carnes e produz o próprio vinho. Por menos de US$ 80, você pode se hospedar no Royal Copenhagen Inn  que lembra uma vila escandinava e tem piscina aquecida.

Dia 5

Solvang / Santa Barbara   57 quilômetros *

Santa Barbara

Ignore a ressaca com um belo café da manhã e parta para Santa Barbara pela Highway 101. A chegada pela costa já dá uma idéia do clima do lugar: são 8 quilômetros de palmeiras à beira-mar. A diferença entre a nórdica Solvang e a mediterrânea Santa Barbara é notável - pelo menos na arquitetura, pois as duas são irmãs no bom gosto e no apreço pela boa cozinha. Fundada em 1782, Santa Barbara foi destruída por um terremoto em 1925. A reconstrução da cidade obedeceu a um estilo arquitetônico (mediterrâneo), o que lhe dá uma singular unidade de paisagem. Na State Street, cafés, bistrôs, lojas descoladas e ateliês reúnem gente bonita e desencanada, típicas vitoriosas do sonho americano (ou californiano, no caso). É o lugar ideal para escolher um café, se sentar e curtir um final da tarde vendo o tempo passar. Se quiser esticar o passeio, veja a vizinha Montecito, ainda mais sofisticada que Santa Barbara e lar de celebridades como a apresentadora Oprah Winfrey e o casal de astros Michael Douglas e Catherine Zeta-Jones.

Dia 6

Santa Barbara / Santa Monica   152 quilômetros *

Santa Monica

Despeça-se da região dos vinhos para entrar no circuito das praias mais retratadas no cinema. O litoral próximo de Los Angeles é cheio de nomes conhecidos: Malibu, Venice Beach, Santa Monica e Long Beach estão aqui. Ao longo da Pacific Coast Highway (a Highway 1), via de entrada para a região, o clima de Santa Monica contagia. Entre a praia e a cidade, acima de um penhasco, está o parque costeiro de Palisades, com refrescantes palmeiras e uma excelente vista para o pôr-do-sol. O píer de Santa Monica, um longo calçadão em madeira, é vizinho de um parque de diversões com enorme roda gigante. Santa Monica é uma óptima parada para compras , mas, se a Califórnia que você procura não é a do consumo e sim a do sonho cantado por The Mamas & The Papas, vá para Venice. Boêmia, Venice Beach reúne patinadores, famílias e muitos tipos exóticos em seu calçadão à beira-mar - entre eles, dezenas de covers de músicos. A cidade é pitoresca desde seu nascimento: o milionário que a criou, há 100 anos, queria homenagear a Veneza italiana. Para isso, construiu uma grande rede de canais, que logo se desmanchou. Os que restaram estão ao longo da Dell Avenue, num cenário bucólico. As melhores opções de hospedagem estão em Santa Monica - entre elas, o Carmel (tel: 451-2469).

Dia 7

Santa Monica / San Diego   182 quilômetros *

San Diego

No caminho para San Diego, é difícil não ficar boquiaberto com as mansões de Orange County, sobretudo nos arredores de Newport Beach. São os casarões que aparecem no seriado televisivo The O. C. Se você quiser parar por aqui, pode esticar até Anaheim, onde está a Disneyland californiana. Ou siga direto para San Diego, parada final deste roteiro. Foi aqui que nasceu a Califórnia, ou seja, foi em San Diego que a primeira das 21 missões jesuíticas foi estabelecida, em 1769. Na cidade respira-se história: em Old Town tudo lembra uma cidade do Velho Oeste, tempo em que a Califórnia ainda era mexicana. No Gaslamp Quarter , zona de prostituição e jogo durante o século 19, a iluminação a gás dá o clima nostálgico para modernos bares, restaurantes e boates. Na praia de Coronado fica o hotel de mesmo nome , onde foi filmada a maior parte do clássico Quanto Mais Quente Melhor, com Jack Lemmon e Marilyn Monroe. Um dia pode ser pouco para visitar San Diego, pois ninguém deve deixar de visitar o imenso San Diego Zoo , um dos mais importantes do mundo. Com 4 mil animais, ele pode ser explorado num passeio de ônibus de 35 minutos ou por um bondinho aéreo, para ter uma visão geral primeiro e depois explorar a pé as centenas de santuários. Uma belíssima maneira de encerrar sua viagem.

Que saudades desta viagem!!

* Total de quilometros rodados de moto no dia.


  

publicado por AntonioCasteleiro às 00:01
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De Luna a 16 de Junho de 2008 às 14:39
Olá, olá...

Andava a pesquisar informações sobre a Califórnia, e encontrei o seu blog!

A questão é que o meu namorado tem uma proposta de trabalho na Califórnia e eu gostava de saber tudo sobre esse país...e parece-me que voce me poderá dar algumas informações!?

Se puder, envie email para: sinaimoon@msn.com

Muitissimo obrigada...

Mónica Duarte
De Luiza Palmeira a 3 de Novembro de 2009 às 01:54
Muito interessante essa matéria...Parabéns se tiver mais coisa pode me mandar por email...
Caraguatatuba /SP

Comentar post

Este blog é um espaço de análise e opinião. Da minha análise sobre factos e coisas do dia a dia, e da opinião que à cerca delas vou construindo. Sobre o que escrevo, muitos dos que me lerem Estarão de acordo e muitos outros discordarão. Não há mal nenhum nisso. Assim uns e outros saibam Respeitar uma opinião contraria.Antonio Casteleiro

Os Anjos

( filosofia motociclista)

- Esta irmandade tem um código de honra silencioso, quase secreto, que nunca precisou ser escrito, mas quem faz parte dela já nasce sabendo. Este código reza não deixar um irmão na estrada, não conhece o valor do dinheiro e ensina que todo motociclista merece respeito independente da marca ou cilindradada de sua mota. -

( antonio casteleiro )

www.osanjos.net

 

.Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
.ultimos 10 posts

. Mundança de endereço WEB

. Finalistas blogs.sapo.pt ...

. Tenhamos paciência...

. Para reflectir / Somos to...

. Lágrimas ... lágrimas ......

. Felicidade ...

. O que nos motiva a ser so...

. Alfabeto do amigo ...

. 1º de Maio - Dia do Traba...

. A pena !

.arquivos
.tags

. concentrações / convivios(9)

. convivios / concentrações(3)

. curiosidades / humor(2)

. curiosidades / humor etc(1)

. e esta!?...hem !!(1)

. historias de motociclistas(1)

. meditação(1)

. opinião(41)

. os anjos(8)

. pensamentos / reflexões(31)

. pensamentos / reflexões / poemas(12)

. politica(7)

. recordações(1)

. reparo(2)

. sim...??!! ou não...??!!(3)

. tome nota(9)

. viagens(2)

. viagens de moto(18)

. todas as tags

.links